sexta-feira, 24 de outubro de 2008

One of my favorites

Ele é um dos meus escritores de eleição. Porque brinca com as sonoridades, com as palavras. Este foi o último livro dele. O tom é ligeiramente diferente do habitual, mas ainda assim tudo ali é África, costumes, gentes.

Adorei, como habitualmente.



«O jovem médico português Sidónio Rosa, perdido de amores pela mulata moçambicana Deolinda, que conheceu em Lisboa num congresso médico, deslocou-se como cooperante para Moçambique em busca da sua amada. Em Vila Cacimba, onde encontra os pais dela, espera pacientemente que ela regresse do estágio que está a frequentar algures. Mas regressará ela algum dia? Entretanto vão-se-lhe revelando, por entre a névoa que a cobre, os segredos e mistérios, as histórias não contadas de Vila Cacimba – a família dos Sozinhos, Munda e Bartolomeu, o velho marinheiro, o administrador, Suacelência e a sua Esposinha, a Misteriosa mensageira do vestido cinzento espalhando as flores do esquecimento.»

Venenos de Desu, Remédios do Diabo
Mia Couto
Páginas: 192
Colecção: «Outras Margens», n.º 0
ISBN: 978-972-21-1987-0
1.ª edição: Junho 2008
Preço: 15,00 €

4 comentários:

Mãe da malta disse...

Olha, só me dá tristeza ver os vossos posts. Porque estou a ler ingles, não faz sentido trazer livros de Portugal em português, pelo preço dos livros e porque preciso de ler em inglês, no entanto tenho saudades, naturalmente com o meu inglês a leitura não é fluida.

Nas férias talvez traga dois ou três, entretanto a wish list vai aumentando, a cada post vosso.

Cristina disse...

Também quero. Está na lista! LOL
Boa ideia colocar o preço... :)

Cristina

Isabel Maia disse...

Já lhe peguei várias vezes, estou em pulgas para o ler mas como tenho uma quantidade monstra de livro em lista de espera, este tem que ficar para outra altura. Gosto muito da escrita de Mia Couto.

Melancia disse...

Tenho-o na cabeceira, ainda nem se quer dei uma vista de olhos, o último dele ficou a meio, tenho dificuldades em ler Mia Couto... Mas hoje, graças a este post, abro-o!
Entretanto acabei de ler o novíssimo do Pepetela “O quase fim do mundo” : «E se a vida animal de repente desaparecesse da Terra, excepto num pequeno recanto do mundo e em doses mínimas? Talvez as causas se conheçam depois, mas o que importa é a existência de alguns seres, aturdidos pelo desaparecimento de tantos, e procurando sobreviver. É sobre estes sobreviventes e as suas reacções, desejos, frustrações mas também pequenas/grandes vitórias que trata este romance. Detalhe importante: o recanto do mundo que escapou à hecatombe situa-se numa desgraçada zona da desgraçada África. O que permitirá questionar as relações contemporâneas no velho Mundo.» Muito bom!
Bj.
Melancia