quarta-feira, 9 de abril de 2008

A Rapariga Que Roubava Livros, Markus Zusak

Estou a terminar a leitura deste livro (o do mês marcha no fim de semana). Foi um dos comprados por acaso, nas nossas incursões à fnac, ruinosas para o orçamento familiar, mas boas para a alma. Este parece giro. E pronto, veio.

Nas primeiras páginas quase dei por mal gasto o dinheiro, porque me parecia que a história nem avançava, nem fazia grande sentido. Não podia estar mais enganada.

É um livro muito bonito. Um livro sobre a vida, narrado pela morte, um livro sobre a humanidade, no tempo das trevas, um livro sobre a alegria em tempo de tristeza, sobre as pequenas grandes coisas. E é um livro sobre o amor aos livros, às palavras.

Tem por pano de fundo a Alemanha nazi em guerra, e conta a história de Liesel, a rapariga que roubava livros, os seus pais adoptivos, o seu amigo Rudy, um rapaz de cabelos cor de limão que queria ser como Jesse Owens, e Max, o pugilista judeu escondido na cave.

É um livro bom para oferecer a adolescentes, lê-se num fôlego. Mas está bem para qualquer idade, os meus 28 anos estão a adorar!

8 comentários:

. disse...

E agora, o que faço? Quero lê-los todos e não posso. Sinto a mesma angústia quando sinto que esta vida não me chegará para conhecer o mundo todo. Acho injusto. Luz

Mar disse...

Tentas ler todos os que podes, aproveitando cada bocadinho. Escolhes os que parecem ter mais a ver contigo. E nunca insistes num livro ou num autor de que não gostas, a vida é muito curta para desperdiçar tempo com eles!

Quanto ao mundo, para lhe dar a volta bastam 80 dias... ;)

. disse...

Mar, vou começar a correr! E a não perder tempo, tens razão. Luz

flores disse...

:) Tb comprei por instinto. Vou pegar-lhe.

Cristina disse...

Fiquei muito curiosa, a começar pelo título...

Bjos

Cristina

Ana Sousa disse...

Mar! tu só tens 28 anos?

Mar disse...

Ana, serão 29 no mês que vem! ;)

LP disse...

Parece-me muito bem mas fico com a angústia da Luz... não vai dar para todos, para tudo.