segunda-feira, 26 de maio de 2008

Leituras, a minha experiência

Desde que aprendi as primeiras letras que me lembro de ler. Recordo bem que aprendi a ler muito rapidamente. Nas férias do Natal da primeira classe lia de fio a pavio os livros da Anita que o Pai Natal me trouxe. Rapidamente os livros da Anita e afins passaram a ser insuficientes. Demasiadas imagens e pouco que ler. Lia convulsivamente. Nas férias do verão pouco mais fazia do que ler. Não havia dinheiro que chegasse para livros infantis e juvenis por isso entre as Patricia, as Daniela, as Gémeas no Colégio de Santa Clara, O Colégio das Quatro Torres, os Cinco, os Sete, a Carlota, a Susana, a Susie, a Claúdia, todos os da Condessa de Ségur... comecei a ler tudo o que me aparecia à frente. Camilo Castelo Branco, Eça de Queirós, Julio Verne...coisas que nem sempre entendia, por não ter maturidade para tal, outras que ia descobrindo e que me aliciavam imenso.

A minha madrinha foi uma das principais "formadoras" daquele que é o meu estilo de leitura favorita: o neorealismo. Foi ela que me ofereceu autores como Soeiro Pereira Gomes, Alves Redol, Sebastião da Gama, Manuel da Fonseca, Bernardo Santareno e afins. Também foi através dela que conheci o Saramago e a Lídia Jorge.

Na faculdade lia menos porque as leituras obrigatórias me tiravam tempo. Mas comecei por essa altura a ler Isabel Allende, Gabriel Garcia Marquez. Descobri por um acaso a Rosa Lobato Faria, que tem na essência da sua escrita muito dos dois anteriores. Foi também na faculdade que reli (quase) tudo o que é Eça, desta vez já com capacidade de compreender o que estava a ler.

Durante seis anos fiz um interregno nas leituras. Tive dois filhos e passei a ler histórias para dormir e livros do Ruca. Recentemente consegui voltar a encontrar tempo para ler e, por coincidência (uma vez mais) surgiu este blog, precisamente na altura em que me preparava para descobrir novos autores e retomar o fio à meada.

Neste Clube do Livro já descobri dois bons autores: Amado e Agualusa. Estou, por isso, tentada a continuar a seguir as vossas excelentes sugestões. Se me pedissem uma opinião para livro do mês de Junho escolheria um dos meus autores de eleição para, por um lado, reler e, por outro, dar a conhecer este género que me diz tanto. Destaco Seara de Vento de Manuel da Fonseca e Esteiros de Soeiro Pereira Gomes. Porém, tenho receio que alguns destes livros não sejam fáceis de encontrar.

Por outro lado, se quiser ser mesmo muito prática, posso dizer que comecei ontem Kafka à Beira Mar do Haruki Murakani. Se quiserem juntar-se...

3 comentários:

Cristina disse...

Já li o Kafka à Beira-Mar!
Partilho do teu entusiasmo pela leitura, principalmente, a listagem de livros da infância/juventude, a que acrescento todos os policiais da agatha christie e do erle stanley gardner. Devorava esses livros...

Cristina

Mar disse...

Susie,

Adorei este post. Temos as mesmas memórias e uma relação muito parecida com os livros e a leitura. Gosto de ler compulsivamente, muitas horas, sem parar, e passei a infância e a adolescência a fazê-lo. Agora não posso, mas hei-de voltar a poder.

Afinal alguém leu as histórias de colégios internos todas, como eu. Um dia destes experimento um post para partilharmos estas memórias.

(e se a autora de Junho fosse a Lídia Jorge, achavas bem?)

sc disse...

Descobri agora este blog e achei-o o máximo.
Gosto muito de ler. Sempre gostei, mas lia muito mais nos meus dezassete e dezoito anos do que agora... Outros valores entretanto se levantaram...
Fui à feira do livro esta semana e encontrei um edição nova do livro "contos para a infancia" de guerra junqueiro. Eu tenho a edição antiga, com mais de 30 anos e trouxe-me tantas memórias... mais alguém leu?

Bjs!