segunda-feira, 5 de maio de 2008

Livro do mês - Maio

Ainda não votaram todas, mas parece-me que o Agualusa vai a caminhar a passos largos para a maioria.

As Mulheres do Meu Pai, de José Eduardo Agualusa, será então o livro do mês de Maio.



Confesso que já li para aí 1/3. Fiquei com vontade de o ler e fui a correr comprá-lo na quarta-feira passada, para levar de fim-de-semana.

Estou a AMAR.

Sinopse:

Faustino Manso, famoso compositor angolano, deixou, ao morrer, sete viúvas e 18 filhos. A mais nova destes, Laurentina, diretora de cinema e documentarista, tenta reconstruir a atribulada vida do falecido músico.

Em As Mulheres do Meu Pai, realidade e ficção correm lado a lado, a primeira alimentando a segunda. Nos territórios que José Eduardo Agualusa atravessa, porém, a realidade é quase sempre mais inverossímil do que a ficção. Os quatro personagens do romance que o autor escreve, enquanto viaja, vão com ele de Luanda, capital de Angola, até Benguela e Namibe; cruzam as vastas areias da Namíbia e as suas povoações fantasmas, alcançando, finalmente, a festiva Cidade do Cabo, na África do Sul. Continuam, depois, rumo a Maputo, e de Maputo a Quelimane, junto ao rio dos Bons Sinais; dali até à pequena ilha mágica, onde morreu o poeta Tomás Antônio Gonzaga. Percorrem, nesta deriva, paisagens que fazem fronteira com o sonho e das quais emergem, aqui e ali, os mais estranhos personagens.

As Mulheres do Meu Pai é um romance sobre mulheres, música e magia. Anuncia-se, nestas páginas, o renascimento de África, continente afectado por problemas terríveis, mas abençoado pelo talento da música, o sempre renovado vigor das mulheres e o secreto poder de deuses muito antigos.

Deixo aqui a capa da versão original, infinitamente mais bonita que a portuguesa:

9 comentários:

Mar disse...

Ia fazer um post destes agora.

Obrigada, Flores!

. disse...

Curiosa, curiosa! A capa é, de facto, muito mais bonita.


Luz

Cristina disse...

Então, vamos a ele!
E a capa original, linda!

Cristina

Cool Mum disse...

Ora vamos lá.
(a ver se o arranjo já amanhã)

Nenos disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Ana disse...

Adorei a parte da letra ser maior que o do Jorge Amado.

Vou ver se me decido a acabar o JA para começar este.

Loira disse...

As boas notícias é q já acabei o amor nos tempos de cólera e já encomendei o livro deste mês na fnac online. Desta vez, leio ao mesmo tempo q vcs :).

Cool Mum disse...

Já comecei a ler e estou a gostar imenso.
Exige mais do leitor do que o anterior, e eu gosto disso.

Tânia disse...

Estou a gostar mt... Gosto de livros falados em várias vozes. Ali ainda me resta perceber a utilidade de algumas delas. Mas estou a gostar mt. Agradavelmente surpreendida, confesso