quinta-feira, 5 de junho de 2008

Livro de Junho: Rosa, minha irmã Rosa



O pessoal pronunciou-se e eu, que ando movida por cafeína, aqui vos deixo o sinal de partida: toca a ler e a deixar mensagens! É que tem sido giro! Deixo-vos duas das capas. Deixo-vos a da edição comemorativas dos 25 anos, mais cor-de-Rosa. Deixo-vos também um link, de uma blogueira que também fala de livros. Outro de uma das minhas co-workersaqui deste canto... Vamos lançar os temas: irmãos? Ciúmes de irmãos? Partilha? Pais ausentes? Pais distantes? Avós? Sigam, meninas!

Sinopse:
Mariana, filha única, tem dez anos quando Rosa nasce. Agora vai partilhar tudo com a irmã: o quarto, o tempo dos pais, o afecto da família — incluindo a Avó Elisa que desconfia do progresso, e a Tia Magda, que tem um dente de ouro, uma fala que mete medo e só gosta de estrelícias e antúrios. Mas pelo menos a recordação da Avó Lídia e a amizade de Rita ela não quer dividir com mais ninguém. Será que Rosa vai continuar a ser «uma intrusa»?

Livro recomendado pelo Plano Nacional de Leitura para leitura autónoma e/ou com apoio do professor ou dos pais no 3.º ano de escolaridade

Nota: eu um dia hei-de falar do plano nacional de leitura...

15 comentários:

Susie disse...

Que bom! Hoje vou a casa da mãe já o vou levar comigo. Confesso que me lembro de ter adorado, mas não me lembro muito bem do conteúdo.

Luisa disse...

Um dos livros da minha vida! Tinha a idade da Mariana quando o li. E depois disso li-o vezes sem conta. Marcou-me imenso, devorei os seguintes: Lote 12, 2º Fte e o Chocolate à Chuva. Aliás o Lote 12, 2º Fte tenho-o autografado pela Alice Vieira. Lembro-me na altura de ter sido uma emoção enorme.

Beijinhos

Loira disse...

Um dos meus livros preferidos e que reli há menos de 2 meses :D. Li pela 1ª vez qd tinha 10 anos (se não estou em erro).
Ainda ando a braços com As Mulheres do Meu Pai, já que comecei bem mais tarde (tipo a semana passada :D) LOL.

bj*

Mar disse...

Também é um dos livros da minha vida

Já disse que tenho medo de o reler agora, adulta e mãe. Mas não há-de ser nada.

A minha mãe leu-mo, pela primeira vez, aos cinco anos. Porque falava de uma menina com o meu nome que sofria com a chegada de uma irmã.

Quando soube que a L. era uma menina, juro que pensei em chamar-lhe Rosa, só para lhe poder explicar que era assim por não se poder chamar cravo... (claro que o pai disse que eu sou louca). :)

Cristina disse...

Boa escolha!
Vamos ler...

Cristina

flores disse...

É geracional, ñ é? É um dos livros da nossa infância/adolescência.

Era o livro do dia, ontem, na feira. A versão «normal» custava 5 euros, a outra 8.

Sendo filha única ñ passei pelos mesmos sentimentos q a Mariana (Mar), mas ontem qdo o comecei a ler (e como mãe de 2) o meu coração ficou pequenino, pequenino com as palavras da Mariana, com a ausência da mãe.

flores disse...

Temos concílio final hj sb o livro de Maio?

Elisabete Barbosa disse...

Li este livro precisamente quando a minha irmã, 13 anos mais nova do que eu, nasceu.
Não tive ciúmes, antes pelo contrário. O livro só me fez gostar mais dela, da minha Joana.

Márcia Carvalho disse...

Alice Vieira! Desta vez apanho o combóio. Reler Alice Vieira como será? (estou como a Mar).

Ana Paula disse...

Estou ansiosa por começar a ler.

O momento não podia ser mais oportuno. Vai ser bom.

Manhã de Inverno disse...

Oh, gostei tanto de ler este livro em miúda...

Karla disse...

Estou-me a sentir um bocado E.T.

Serei eu a única a ler e reler os meus livros infantis preferidos pela vida fora?

(se sim, não gozem muito comigo... :D)

Loira disse...

Karla: eu tb tenho a mania de reler os meus livros preferidos... já perdi a conta às vezes q li Rosa, minha irmã Rosa... LOL (e a ultima vez foi mesmo há 2 meses e a coisa tocou-me tanto ou mais do que a 1ª vez :D)

Cool Mum disse...

Nunca li, confesso, meia envergonhada.
Entretanto fui ver e o livro é de 1979. Talvez a minha provecta idade o explique, pois nessa altura eu já tinha a mania de ler livros de 'crescidos'...
Estou ansiosa.
E este vou comprar. Naquela livraria de bairro, Flores, sabes? Ainda hoje.

Mãe da Rita disse...

Eu reli este livro há pouco tempo,emprestado por uma aluna. Também não o li na altura e nem sei quando o fiz, acho que era de uma das minhas primas mais novas. Gostei muito de o reler. (Nota-se muito que cravo prendas e emprestimos a toda a hora? Mas cá em casa falta espaço, não é por mal...)