segunda-feira, 16 de junho de 2008

Reconciliada

Afinal, she did not lost her touch. Só anda meio perdida.

Inés da minha alma é o livro que anda dentro da mala, ou melhor, dentro da book cover.

Comprado na feira do livro, lidos que estavam os livros de Maio e Junho e pensando que era a última oportunidade que dava à Isabel. :)

E que bela oportunidade. É este o registo dela de que gosto. Romance histórico, mulheres de garra, descrições épicas.

Estou a amar! E a acabar!

Sinopse:

Inés Suárez é uma jovem e humilde costureira oriunda da Extremadura que embarca em direcção ao Novo Mundo para procurar o marido, extraviado com os seus sonhos de glória do outro lado do Atlântico. Anseia também por viver uma vida de aventuras, vedada às mulheres na pacata sociedade do século XVI.
Na América, Inés não encontra o marido, mas sim uma grande paixão: Pedro de Valdivia, mestre-campo de Francisco Pizarro, ao lado de quem Inés enfrenta os riscos e as incertezas da conquista e fundação do reino do Chile.
Neste romance épico, a força do amor concede uma trégua à rudeza, à violência e à crueldade de um momento histórico inesquecível. Através da mão de Isabel Allende, confirma-se que a realidade pode ser tão ou mais surpreendente que a melhor ficção, e igualmente cativante.

Inés da Minha Alma, de Isabel Allende / Difel, 2006

9 comentários:

Ana Paula disse...

Já li e definitivamente é a Isabel Allende. Gostei muito.

Caracoleta disse...

Já li e adorei assim como adoro tudo o que leio dela!
Estou a ler "A soma dos dias" e a conhecê-la um pouco mais...

Tânia disse...

Confesso que foi das grandes desilusões da minha vida. Li há mts anos a Casa dos Espíritos. Adorei. Comecei a ler o Paula. Senti que estava a ler o mesmo livro. Bem sei que a senhora é muito autobiográfica, mas achei aquilo desmotivante. Nunca acabei o Paula. Nunca mais li Allende... A ver se me convencem :P

Mãe da Rita disse...

Por acaso, não gostei muito deste, deixei-o a umas 30 páginas do fim... eu gosto mesmo é da vertente autobiográfica e das heroínas fantásticas, como a do Retrato a Sépia.

Cool Mum disse...

Bora tomar um café. Devolvo-te os tremores e trago este. Que tal?
(a descrição da mulher japonesa é terrífica)

Cristina disse...

Eu adorei esse livro, a começar pelo título...

Ainda bem que fizeram as pazes. LOL

Cristina

InêsN disse...

tb gostei muito :)

flores disse...

Cool,

dá-me mais um fds para o acabar.

Fitinha Azul disse...

Ainda não li este, li o "A soma dos dias" e a "Cidade dos Deuses Selvagens" e gostei bastante. Este entao fica na lista dos próximos a ler:)